Spinoza: uma teoria do homem. Uma antropologia materialista

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Pierre-François Moreau

Resumo

Tradução de Pedro H. G. Muniz
Spinoza baseia suas teorias éticas e políticas num estudo geométrico dos afetos humanos. A raiz destes afetos é o esforço de cada um para perseverar em seu ser, racional ou não. Os efeitos desta produção passional são complicados pela imitação espontânea dos afetos dos outros e pela opacidade de cada indivíduo para si mesmo. O poder desses indivíduos é traduzido, em nível pessoal, por um devir singular; no plano político, por um direito natural permanente que permanece, de fato, um direito apaixonado e às vezes torna cada um inimigo potencial do Estado.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
MOREAU, Pierre-François. Spinoza: uma teoria do homem. Uma antropologia materialista. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 26, n. 41, feb. 2018. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/584>. Acesso em: 17 aug. 2018.
Seção
Artigos