Ésquilo e a poética da adivinhação

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Beatriz de Paoli http://orcid.org/0000-0001-9121-2364

Resumo

Este artigo tem como objetivo mostrar, em linhas gerais, como a adivinhação nas sete tragédias supérstites de Ésquilo é um elemento fundamental na construção de suas estratégias dramáticas, à medida que informa e define tanto a peculiaridade da poética esquiliana quanto sua visão do mundo. Para tanto, mostraremos como as mais reconhecidas características da obra de Ésquilo decorrem do uso que o tragediógrafo faz da adivinhação em sua obra e, em seguida, discorreremos brevemente sobre a presença da adivinhação em cada uma das sete tragédias.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
DE PAOLI, Beatriz. Ésquilo e a poética da adivinhação. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 27, n. 43, p. 223-235, dec. 2018. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/602>. Acesso em: 25 june 2019. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2018n43a602.
Seção
Artigos