Entre o distanciamento físico e o lockdown: a solidariedade como práxis em tempos de pandemia

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Gustavo Silvano Batista http://orcid.org/0000-0002-9399-2541

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir o distanciamento físico, medida recomendada pelos órgãos de saúde pública no enfrentamento da Covid 19, na perspectiva da solidariedade hermenêutica. Busca-se compreender o distanciamento social em termos solidários, não somente aprofundando seu sentido por ocasião da pandemia, mas também visualizando-o como uma oportunidade de ressignificar filosoficamente o sentido da saúde promovida tanto pelas entidades da área quanto pelo engajamento das comunidades afetadas pela doença. Tal discussão, embora situada em um momento de pandemia, permite tanto uma revisão do alcance dos processos sociais de promoção de saúde, para além dos protocolos biomédicos de cuidado individual e coletivo, tal como é defendido pela OMS, quanto a conscientização prática da necessidade de um ambiente comum saudável, como reivindica Gadamer.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
BATISTA, Gustavo Silvano. Entre o distanciamento físico e o lockdown: a solidariedade como práxis em tempos de pandemia. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 29, n. 46, p. 152-162, july 2020. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/732>. Acesso em: 27 oct. 2020. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2020n46a732.
Seção
Artigos