Chorar nossos mortos

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Tito Marques Palmeiro http://orcid.org/0000-0001-9495-4910

Resumo

Dois eventos de dimensão mundial se produziram na passagem de 2019 para 2020: a pandemia da COVID-19 e uma profusão de textos a seu respeito. Este artigo se inscreve no esforço atualmente em curso de compreensão da pandemia, mas interroga igualmente como se pode falar de seu acontecimento singular entre nós. No Brasil, mais que em qualquer outro país, a pandemia ficou subordinada à política. Este texto segue outra via de interpretação, que pode ser resumida em duas perguntas dirigidas a seus possíveis leitores: a possibilidade de chorar nossos mortos dependerá de algo tão inesperado quanto de textos escritos? Para que possamos homenageá-los, a distância da poesia será mais portadora de sentido que a imediaticidade da política?

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
PALMEIRO, Tito Marques. Chorar nossos mortos. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 29, n. 46, p. 44-57, july 2020. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/735>. Acesso em: 27 oct. 2020. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2020n46a735.
Seção
Artigos