Em busca do tempo encontrado – a criação artística em Proust e Bergson

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Gilberto Bettini Bonadio http://orcid.org/0000-0002-5381-8477

Resumo

O presente artigo parte da leitura crítica de Samuel Beckett acerca do romance de Proust, Em busca do tempo perdido, para investigar a questão da criação artística no pensamento filosófico de Henri Bergson. A análise de Beckett sobre a temática da memória, do hábito e do tempo em Proust possibilita o vislumbre de certas afinidades entre as ideias do romancista e a reflexão bergsoniana sobre a arte e o artista enquanto reveladores da realidade temporal da vida, a duração. Tal revelação conduz o artista à busca de uma forma por meio da qual ele consiga superar os usos comuns e as tendências naturais inscritas na linguagem para que a expressão e a comunicação de um conhecimento sobre o verdadeiro possam vir à luz, o que coloca a imaginação como instância crucial para o acesso à verdadeira natureza da realidade.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
BONADIO, Gilberto Bettini. Em busca do tempo encontrado – a criação artística em Proust e Bergson. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 29, n. 47, p. 56-78, mar. 2021. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/749>. Acesso em: 24 july 2021. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2020n47a749.
Seção
Artigos

Referências

BECKETT, S. Proust. Trad. Arthur Nestrowski. São Paulo: Cosac Naif, 2003.
BERGSON, H. “A alma e o corpo”. In: BERGSON (Col. Os pensadores). Trad. Franklin Leopoldo e Silva. São Paulo: Abril Cultural, 1979.
BERGSON, H. Ensaio sobre os dados imediatos da consciência. Trad. João da Silva Gama. Lisboa: Edições 70, 1988.
BERGSON, H. A evolução criadora. Trad. Adolfo Casais Monteiro. São Paulo: Ed. Unesp, 2009.
DELEUZE, G. Proust e os signos. Trad. Antonio Piquet e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.
GAGNEBIN, J-M. “De uma estética da visibilidade a uma estética da tatibilidade em Walter Benjamin”. In: DUARTE, R.; KANGUSSU, I. (Orgs.). Estéticas do deslocamento: discurso filosófico – teoria crítica – linguagens artísticas. Belo Horizonte: Abre/UFMG, 2008.
LEOPOLDO E SILVA, F. Bergson: Intuição e Discurso Filosófico. São Paulo: Loyola, 1994.
PAIVA, R. Subjetividade e Imagem: a literatura como horizonte da filosofia em Henri Bergson. São Paulo: Humanitas, 2005.
PROUST, M. Em busca do tempo perdido - vol. 1 - No caminho de Swann. Trad. Mario Quintana. São Paulo: Globo, 2006.
RICOEUR, P. Tempo e Narrativa – Tomo II. Trad. Marina Appenzeller. Campinas: Papirus, 1995.
TORRES, S. Ser, tempo e liberdade – as dimensões da ação livre na filosofia de Henri Bergson. São Paulo: Humanitas, 2006.