Sartre e a genealogia

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Marcelo da Silva Norberto http://orcid.org/0000-0001-9138-8538

Resumo

O artigo analisa a quarta parte de “O ser e o nada”. No estudo sobre a ação, Sartre teria utilizado o método genealógico para definir a noção de liberdade, explorando a discussão da liberdade entre o determinismo e o livre-arbítrio. Através da genealogia, Sartre teria definido as três características fundamentais da ação: a intenção, a negatividade e a ficção. Por fim, este estudo permitiu ao autor demonstrar a peculiar relação entre futuro e presente na condição humana.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
NORBERTO, Marcelo da Silva. Sartre e a genealogia. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 29, n. 48, p. 190-211, june 2021. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/767>. Acesso em: 17 oct. 2021. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2021n48a767.
Seção
Artigos

Referências

BEAUFRET, Jean. Dialogue avec Heidegger III – Approche de Heidegger. Paris: Les Éditions de Minuit. 1974.
BERGSON, Henri. Ensaio sobre os dados imediatos da consciência. Tradução de Maria Adriana Camargo Cappello. São Paulo: Edipro. 2020.
BORNHEIM, Gerd A. Sartre: metafísica e existencialismo. São Paulo: Perspectiva. 2005.
CHAPSAL, Madeleine. Os escritores e a literatura. Tradução de Serafim Ferreira e Armando Pereira da Silva. Lisboa: Publicações Dom Quixote. 1967.
DELEUZE, Gilles. GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? Tradução de Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. São Paulo: Editora 34. 2010.
FOUCAULT, Michel. Nietzsche, a geneologia, a história. In: Ditos & Escritos II. Tradução de Elisa Monteiro. Rio de Janeiro: Forense. 2000.
FOUCAULT, Michel. À propos de la généalogie de l’éthique. Un aperçu du travail en cours. In: Dits et écrits II (1976-1988). Paris: Éditions Gallimard, 2001.
FOUCAULT, Michel. As palavras e as coisas – Uma arqueologia das ciências humanas. Tradução de Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes. 2002.
FOUCAULT, Michel. Foucault (1984). In: Ditos & Escritos V. Tradução de Elisa Monteiro e Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense. 2006.
GUSDORF, Georges. Tratado de metafísica. Tradução de António Pinto de Carvalho. São Paulo: Companhia Editora Nacional. 1960.
HUSSERL, Edmund. A filosofia como ciência de rigor. Tradução de Albin Beau. Coimbra: Atlântida. 1952
KREMER-MARIETTI, Angèle. Da la philologie a la généalogie in Contribution à la généalogie de la morale, Friedrich Nietzsche. Paris, L’Harmattan. 2006.
LUKÁCS, Georg. Sobre a forma e a essência do ensaio: carta a Leo Popper. In: A alma e as formas. Tradução de Rainer Patriota. Belo Horizonte: Editora Autêntica. 2015.
MENDONÇA, Cristina Diniz. Orelha de Situações I – críticas literárias. Jean-Paul Sartre. São Paulo: CosacNaify, 2005
NORBERTO, Marcelo S. O drama da ambiguidade – a questão da moral em O ser e o nada. São Paulo: Edições Loyola. 2017.
PRADO JR., Bento. Uma introdução a O ser e o nada. In: Prefácio de Sartre. Psicologia e fenomenologia de Luiz Damon S. Moutinho. São Paulo: Brasiliense, 1995.
SARTRE, Jean-Paul. Questão de método. Tradução de Bento Prado Jr.. São Paulo: Editora Difusão Européia do Livro. 1966.
SARTRE, Jean-Paul. Jean-Paul Sartre responde. In: L’arc Documentos. Sartre Hoje. São Paulo: Editora Documentos Ltda.. 1968.
SARTRE, Jean-Paul. Situações X. Política e autobiografia. Tradução de Pedro Tamen. Lisboa: Edições António Ramos. 1977a.
SARTRE, Jean-Paul. Sartre – Um film réalisé par Alexandre Astruc et Michel Contat – Texte intégral. Paris: Éditions Gallimard. 1977b.
SARTRE, Jean-Paul. A transcendência do Ego / Consciência de si e Conhecimento de si. Tradução de Pedro M. S. Alves. Lisboa: Edições Colibri. 1994.
SARTRE, Jean-Paul. Crítica da razão dialética. Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira. Rio de Janeiro: DP&A. 2002.
SARTRE, Jean-Paul. O que é literatura? 3ª Edição. Tradução de Carlos Felipe Moisés. São Paulo: Ática. 2004.
SARTRE, Jean-Paul. As moscas. Tradução de Caio Liudvik. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 2005a.
SARTRE, Jean-Paul. A náusea. Tradução de Rita Braga. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. 2005b.
SARTRE, Jean-Paul. O existencialismo é um humanismo. Tradução de João Batista Kreuch. Petrópolis, Editora Vozes. 2010.
SARTRE, Jean-Paul. O ser e o nada – Ensaio de ontologia fenomenológica. Tradução de Paulo Perdigão. 24ª Edição. Petrópolis, Editora Vozes. 2015.
SILVA, Franklin Leopoldo. Sartre. In: PECORARO, Rossano (org.). Os filósofos. Clássicos da filosofia. De Ortega y Gasset a Vattimo. Petrópolis: Vozes. / Rio de Janeiro: Editora PUC-Rio. 2009.
SIMONT, Juliette. Jean-Paul Sartre. Un demi-siècle de liberté. Bruxelles: De Boeck & Larcier s.a.. 1998.
WAHL, Jean. Essai sur le néant d’un problème. In: Deucalion 1 – cahiers de philosophie. Paris: Éditions de la revue Fontaine. 1946.
WORMS, Frédéric. Bergson ou os dois sentidos da vida. Tradução de Aristóteles Angheben Predebon. São Paulo: Editora Unifesp. 2010.