Por que a crítica perdeu a força? De questões de fato a questões de interesse

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Bruno Latour

Resumo

Este texto é a tradução de um artigo de Bruno Latour publicado originalmente em 2004, no qual, diante da recente onda de desconfiança em relação aos fatos científicos, de revisionismo quase instantâneo e de teorias da conspiração de todo tipo, ele defende a necessidade de uma redefinição dos instrumentos críticos no campo dos estudos das ciências (sciences studies). Retomando sua análise sobre a maneira como boa parte das ciências humanas, inspirada na crítica social, oscilou arbitrariamente entre as posições de fato e de fantasia para explicar seus objetos, ora considerando as ações humanas como determinadas por leis sociais ou naturais, ora dando todo poder simbólico aos humanos e os declarando fetichistas, o autor argumenta que é necessário substituir as questões de fato por questões de interesse e retornar àquilo que William James chamou de “atitude teimosamente realista”: não se afastar dos fatos, mas se aproximar deles; não desconstruir nem tirar a força dos fatos, mas acrescentar a eles ainda mais realidade.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
LATOUR, Bruno. Por que a crítica perdeu a força? De questões de fato a questões de interesse. O que nos faz pensar, [S.l.], v. 29, n. 46, p. 173-204, july 2020. ISSN 0104-6675. Disponível em: <http://oquenosfazpensar.fil.puc-rio.br/index.php/oqnfp/article/view/748>. Acesso em: 27 oct. 2020. doi: https://doi.org/10.32334/oqnfp.2020n46a748.
Seção
Tradução